Fila de carros para abastecer em posto de combustível na Avenida Engenheiro Caetano Álvares, no bairro do Limão, na zona norte de São Paulo, que vende etanol a R$ 4,89 reais o litro (Foto: Daniel Teixeira/Estadão Conteúdo)

Pelo sétimo dia seguido, caminhoneiros fazem manifestações pelo país. Os atos deste domingo (27) dão continuidade à mobilização contra a disparada do preço do diesel, que faz parte da política de preços da Petrobras em vigor desde julho de 2017.

O gabinete do governo que monitora a crise já está em reunião, em Brasília, sem a presença do presidente Michel Temer. Está prevista uma segunda reunião, às 17h, também na capital federal.

Em ao menos oito estados (Alagoas, Amazonas, Bahia, Mato Grosso do Sul, Pará, Paraná, Rondônia e São Paulo), há relatos de postos que foram reabastecidos. Em diversas cidades, motoristas tiveram de esperar em filas de veículos para colocar combustível.

Por G1